Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Algo mais sobre moda’ Category

Image Hosted by ImageShack.us

Espadrilha é um sapato com solado revestido de corda, juta, ráfia, palha trançada ou cortiça. Também chamada de “alpargatas” ou espadrilles. É tradicionalmente feita em brim ou em lona. O modelo tradicional é o modelo da década de 80.

As espadrilhas tiveram origem na Espanha e eram muito usadas pelas forças armadas. Como por exemplo, o rei da infantaria chamado Aragon, que, durante o século XVIII, usava Espadrilhas feitas com Esparto (planta também conhecida como giesta dos jardins, encontrada no solo Mediterrâneo que se assemelha a uma palha), eles isolavam os pés do frio, calor e umidade, ideal para os soldados. Durante a Guerra Civil, na década de 30, foram usadas por militares espanhóis.

No final dos anos 1960, o calçado foi popularizado por Yves Saint Laurent. O estilista conheceu Isabel Castañer, cuja família era produtora de bases para sapatos com espartos desde 1927, e perguntou a ela se as espadrilhas não poderiam ser altas. Com a resposta positiva, Saint Laurent colocou as sandálias nas passarelas e elas acabaram ganhando destaque também em outras importantes grifes como Hermès e Louis Vuitton.

Em 1970, Andre Assous e Jacques Cohen levaram as espadrilhas para o mercado norte-americano para que as mulheres pudessem usar outro tipo de calçado no verão, além dos tênis.

A Espanha permanece até hoje como o principal produtor do modelo.

Image Hosted by ImageShack.us

Fabricante de espadrilha (esquerda)/ Soldados (Acima)/ Materiais (Abaixo)

Image Hosted by ImageShack.us

Fabricantes de espadrilhas

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Espadrilhas YSL

Fontes: ModaSpot, Clássica com pimenta e Efeito Gloss Make up

Read Full Post »

Image Hosted by ImageShack.us

O cinto é utilizado por homens e mulheres desde a idade do Bronze, aproximadamente 3.000 anos a.C.

Da segunda metade do século XIX até a Primeira Guerra Mundial, o cinto era tanto uma peça decorativa bem quanto parte dos uniformes militares, particularmente entre os Oficiais. Nas Forças Armadas da Prússia, Rússia Czarista e outras nações orientais, os Oficiais usavam o cinto do lado de fora do uniforme para segurar o sabre e para desenhar a cintura, dando ao usuário uma silhueta característica da época: ombros largos e peitoral elevado. Essa prática, considerada necessária para garantir imponência, acabou se tornando popular entre os soldados da Frente Ocidental.

Nos anos 20, os homens passaram a usar o cinto apenas para sustentar as calças na altura dos quadris. Já na metade dos anos 90, o cinto desceu ainda mais, fazendo surgir uma prática conhecia como sagging. O sagging consiste em usar calças abaixo dos quadris, sendo sustentada por um cinto bem apertado, revelando parte da roupa íntima masculina. A partir de 2011, essa prática saiu de moda.

Image Hosted by ImageShack.usImage Hosted by ImageShack.us
Image Hosted by ImageShack.us

 

Na moda feminina o cinto é bastante usado para definir a silhueta, que muda de época em época.

Image Hosted by ImageShack.us

Linha do tempo de silhuetas femininas e masculinas


Na década de 1850 o cinto costumava ser feito com o mesmo tecido do vestido ou saia. No final do século XIX, por influência do art nouveau, cinto com fivelas decorativas tornaram-se populares.

Image Hosted by ImageShack.us

1854-1942

Image Hosted by ImageShack.us

1910

Image Hosted by ImageShack.us

1905

Após a Segunda Guerra Mundial, os cintos ficaram mais largos com a intenção de se adaptar ao New Look de Christian Dior (busto suave, cintura marca e quadris adornados com saias amplas e cheias de camadas), popular na década de 50.

Tendências

Anos 60 – cintos de couro, de plástico e de corrente douradas foram uma febre, e houve uma breve tendência de uma versão do cinto de caubói com fivela grande.

Anos 70 – cintos de estilo masculino geralmente de couro em larguras e modelos diferentes; os de couros vibrantes tiveram especial popularidade.

Anos 70/80 – a influência dos estilistas japoneses na moda suscitou a tendência de cintos enrolados várias vezes em torno do corpo.

Anos 90 – cintos de borracha, plástico, camurça, metal, couro, ouro e tecido de shapes que iam dos que se assemelhavam a espartilhos reduzidos, feitos com barbatanas e entremeios de elástico até os mais finos.

Anos 2000 – cintos de estilo retrô, new look, faixas amarradas, obis, cintinhos reduzidos de verniz, revelando uma tendência: – a cintura alta e bem marcada. Não é mais importante que o cinto segure a roupa na cintura, mas que seja um item de acessório para chamar atenção e complementar a vestimenta.

 

Fontes: Wikipédia, Jornal Matéria Prima e Vc na Net.

 

VEJA TAMBÉM:
Tendência de cintos Primavera/Verão 2012
Consultoria de Cintos
New Look Dior

Read Full Post »

Vi esse texto na internet e achei bem interessante, por isso vou traduzí-lo aqui ^^

Saltos altos, grandes esperanças e o papel das escolas de moda.

O mundo fashion foi há muito tempo preenchido com brilho e glamour. A rampa para as modelos é sempre longa, dramática e bem iluminada. A caminhada é certamente uma caminhada para a fama, felizmente para os candidatos, mas às vezes a caminhada é para a vergonha. Quem está por trás de todas essas promessas e/ou ruínas? Nada menos que os designers de moda.

O que exatamente um designer de moda faz?
Basicamente, com toques de talento, criatividade e sensibilidade, os designers de moda, como se influenciados por Rumpelstiltskin, fazem acessórios artesanais e esboços de roupa. Eles geralmente se concentram em um tipo determinado de acessório ou vestuário como trajes masculinos ou femininos, roupa de banho, lingerie, vestuário infantil, bolsas e até sapatos. Eles, às vezes, conduzem as bases de criação e promoção de suas criações.

Designers de moda famosos preferem ser seus próprios funcionários e atendem o pedido de seus clientes. Alguns atendem departamentos de alta moda ou lojas especializadas. Eles estabelecem demonstrações de moda através de definições de cores, silhuetas e tipos de materiais que são usados em cada estação.

Há, também, alguns designers que são empregados por fabricantes de roupas. Esses designers apenas adaptam a moda de outros designers para o mercado. Contudo, há pequenos fabricantes que apenas adquirem ou copiam modelos.

Ambos designers esboçam peças únicas e seguem certamente tendências da moda. Do mesmo modo, ambos precisam de assistentes que devem se acostumar ao calendário acelerado do fashion business.

Em detalhes, estes designers executam as tarefas abaixo:
• Desenham designs exclusivos.
• Criam estampas para modelos de vestuário.
• Escolhem tecidos e complementos (acessórios).
• Aplicam princípios básicos de alfaiataria e modelagem juntamente com técnicas de drapeado e trabalhos de moldes planos.
• Ajustam e alteram o produto final, se necessário.
• Montam um desfile de moda.
• Comparam o desempenho da mercadoria contra a dos competidores.
• Mantêm-se atualizados das última tendências da moda através de revistas e outros desfiles de moda.
• Viajam freqüentemente para showrooms de tecidos para se manterem atualizados sobre os últimos tipos de tecido.
Atualmente, designers de moda podem ser classificados como:

1. Lead or Head Designers
Eles cuidam das tarefas criativas e executivas.

2. Assistant or Apprentice Designers
Eles geralmente fazem estampas e modelos de vestuário. Eles também podem ensinar os fabricantes de amostras como fazer estampas e designer de vestuário.

3. Specialty Designers
Eles coordenam com outros designers coleções especiais de roupas.

4. Costume or Theatrical Designers
Eles geralmente criam figurinos usados em teatros e filmes.

Os fundamentos de suas criações são de seu conhecimento, competência e habilidade afinados na escola de moda e treinamentos a longo prazo.

• Basic Design – Se refere à técnica know-how incluída na criação e uso de diagramas técnicos, desenhos, projetos e modelos.
• Idea Production – Habilidade dos designers para abordar problemas de forma criativa e inventiva.
• Dynamic Learning – Ser capaz de analisar a implicação de uma nova informação e dos materiais à mão.
• Operations Scrutiny – é considerado requisito do produto para executar um projeto.
• Uniqueness – Diz respeito à inteligência incomum frente às situações difíceis.
• Harmonization – Ser capaz de ter boa coordenação com os outros.
• Visioning – Ser capaz de ver como uma organização trabalha sob condições reais.

Os talentos e habilidades desses artistas são realmente importantes na indústria da moda. O trabalho requer um olhar para uma criação notável e gestão de negócios. Assim, além do portfólio de suas criações, a educação formal ajuda esses designers a adquirir os segredos do comércio neste ramo. Na verdade, a graduação de uma universidade ou escola que fornece treinamento de moda e design é altamente recomendada na indústria, para manter a entrada de designers atualizados sobre o advento de novas técnicas e tecnologias.

Contudo, alguns donos de indústrias consideram escolas de formação profissional e comunidade universitária como mais capazes de produzir artistas competentes porque essas instituições trabalham com indústrias de confecção.

As escolas de formação profissional fornecem treinamentos em esboço, drapeados, fabricação de estampas, construção de vestuário, tecidos, história do vestuário, princípios do design e da cor, e como planejar e comercializar coleções sazonais.

Estudantes do ensino médio inclinados para a moda e design devem terminar cursos de arte, costura, matemática, discurso, inglês e business.

Geralmente, as instituições de formação profissional fornecem um programa de nivelamento (two-leveled) com certificado de que está em consonância com o Associate of Arts. Para aqueles que querem entrar no campo da moda imediatamente, um primeiro nível de certificado de proficiência é fornecido. O próximo nível de proficiência, o nível dois requer um maior tempo de conclusão. Mas em conseqüência da formatura, os artistas são considerados competentes o suficiente para visar posições como designers assistentes. Depois de todo o treinamento formal e especializações necessários, aqueles que tem coragem e muita esperança fiam tecidos de ouro!

Fonte: Women hair style

Read Full Post »

Older Posts »